Blog do Leão Pelado



Este blog está construído segundo as normas da W3C, pelo que pode apresentar irregularidades em browsers que não as sigam, como o Internet Explorer e o Google Chrome. As bandas rotativas não funcionam no IE e as molduras são duma só cor.


Visite o blog da Mentira!
Colaboradores:

A. João Soares, Aruangua, J. Rodrigues, Sapiens, Mentiroso



Perversidade e Crueldade Maligna na Segurança Social – O Roubo da Stª Casa

Em Portugal, os quarto pilares da democracia, para além da obediência dos governantes à vontade do povo – Saúde, Segurança Social, Instrução, e Justiça – têm sido abordados pelos políticos da maneira ignominosa que conhecemos.

A Segurança Social sabe-se como é. Enquanto alguns têm pensões mais do que milionárias – escandalosas e superiores às existentes em qualquer país democrático em que a justiça social não seja uma palavra vã – a grande maioria morre literalmente à fome e não tem dinheiro para se tratar nem para medicamentos.

Outros golpes foram recentemente aplicados no sentido de agravar estes casos
assassinos de exterminação dos pobres e de os tornar mais evidentes. A carneirada tudo aceita. Governos espertalhões têm copiado tantos erros de outros países e não têm capacidade intelectual nem mental para copiar o que se tem feito pela Europa fora para resolver estas situações, como eliminaram as pensões milionárias onde estas alguma vez existiram, como os cálculos das pensões são efectuados de modo a que nenhuma pensão transforme qualquer cidadão num miserável como em Portugal. Se são incapazes, rua com os parasitas. É simplesmente escandaloso e uma afronta contra a toda a população que políticos com oito anos de serviço frequentemente inepto e corrupto recebam pensões milionárias em relação a quem toda a vida trabalhou e descontou para lhas pagar com esse desfalque à segurança Social. É este o Portugal real dos políticos corruptos, parasitas a malvados.

A Santa Casa da Misericórdia sempre foi dirigida por um provedor escolhido pelas suas qualidades humanas, vocacionais e de competência. Pois a corrupção dos governantes há muito que até esse posto transformou num tacho, atribuindo-o a um político partasita. Costumam pretender justificar estes casos de descarada corrupção alegando que necessitam de pessoas de confiança do governo em todos estes lugares. Como nos países democráticos não se passa assim; nem mesmo durante a ditadura assim foi; somos obrigados a deduzir que, afinal, não estamos numa democracia e que estes casos são tratados de modo pior do que o foram durante a ditadura. Assim, este tacho tem sido atribuído a qualquer um que tivesse um apoio corrupto. Afinal, se os governos dos países democráticos não necessitam de “pessoas de confiança” dos seus políticos para ocuparem esses cargos, os quais são postos a concurso e entregues a pessoas competentes, se os políticos portugueses sentem essa necessidade, ela só pode ser justificada pela precisão de colaboração corrupta para encobrir casos de acções infames e criminosas.

Governos autorizaram e têm mantido a autorização de associações profissionais de futebol roubarem o dinheiro dos pobres mediante a tomada de posse dos fundos de receitas da Santa Casa da Misericórdia. É um autêntico assalto aos pobres para dar aos parasitas. Não faz lembrar as histórias de Robin Hood e de Arsène Lupin vistas ao contrário? Os pobres são, pois, roubados por parasitas com o apoio dos políticos dos partidos nos governos. Em consequência, sob a direcção de Maria José Nogueira Pinto, quando houve um reforço de ganhos com o Euro Milhões, a Stª Casa diminuiu de metade os valores das ajudas de emergência a indigentes, reduziu ou eliminou todos os seus auxílios aos mesmos, suprimiu o auxílio na compra de medicamentos a quem não tem meios para os comprar. O governo que se seguiu, assim como o provedor que lhe sucedeu mantiveram a mesma situação de repressão dos pobres e em Dezembro de 2005 já havia um acumulado superior a €100 milhões, provenientes do Euro Milhões. Talvez os dividam pelos profissionais da jogatana e comprem uma ou duas dúzias de automóveis de luxo para os políticos em cargos governamentais e administrativos. Matem-se os pobres e acabam-se os seus problemas! Que classificação se poderá atribuir a tais procedimentos, além de inumanos, infames, canalhas, ignóbeis, vis, sórdidos, repugnantes, abjectos ou desprezíveis? Parece que todos estes adjectivos se afiguram realmente insuficientes para classificar tais acções inclassificáveis dos nossos queridos e previdentes políticos que acham que foram votados para desgraçarem o povo soberano e satisfazerem as suas malditas ganâncias sem jamais prestarem contas ao seu único e verdadeiro soberano. E dizem-nos eles que vivemos numa democracia! Giro, giro, os carneiros aceitam o jugo dos carniceiros e voltam a votar nos mesmos. Como se não restassem políticos honestos em Portugal, mesmo que poucos. Algozes malditos desviaram a Sta. Casa da Misericórdia da finalidade da sua fundação e transformam-na numa fonte de receitas ilícitas para canalhas, parasitas, corruptos, vigaristas e escoiceadores de bolas.

3 mentiras:

A. João Soares said...

Car Mentiroso,
Com verdade, apresenta-nos mais uma anáise do «estado da Nação».
E os facto chovem, dia a dia, a conmrovarem as suas palavras. Segundo os jornais de hoje, o ministro das Finanças orgulha-se do seu serviço por ter conseguido que a receita fiscal tivesse em 2006 representado a maior fatia do aumento das receitas, atingindo 32,61 mil milhões (mais 7,2% do que em 2005. Roubou os contribuintes. Para quê? quem benefiiou? Não foi o povo, não foi aquilo que eles chamam de «classe civil». Foi a autodenominada «classe política» com as reformas ganhas à pressa mas milionárias a que o texto se refere, a quantidade de assessores, os inúmeros estudos encomendados aos amigos e que nada resolvem., a quantidade de carros e de motoristas, etc, etc.
É o Portugal que temos e que é dos ditadores democratas.
Um abraço
A, João Soares

du said...

olá mentiroso. o problema não é não sabermos o que se passa. o problema é que ninguém sabe o que fazer e a pequena minoria que tem miolos por aqui, nesta terra á beira mar despejada, não sabe como agir. greve não faz nada, faltar ao dever de voto ér pior ainda porque embora "eles" percebam, não se sentem coagidos a agir. e sim, o povinho carneiro deste país cai em todas. pelo menos enquanto continuarmos a assistir na TV a depoimentos de honestidade que não têm vergonha nenhuma de dizer que assinaram um contrato em branco e esperam milagres de trabalho em espanha.Fado, futebol, fátima e felgueiras. o 5º F é... "fodi-me" mas vou fazer a mesma merda porque as regras não interessam e sou burro como o catano...

Mentiroso said...

Amigo du
Tens razão, que são raros aqueles que sabem como proceder democraticamente para tomar mão nos políticos e obrigá-los a prestar contas pelos seus actos. Não sabem o que fazer, como dizes, por serem sistematicamente desinformados por políticos e cambada jornaleira conivente. Quanto ao voto, também tens razão, o pior é ficar em casa e não votar, mas há maneiras de fazer muita força com ele, o que também é desconhecido.
Melhor do que qualquer género de greve, em que quem perde é sempre o povo, os prejudicados, levantamentos populacionais são extremamente mais eficazes. Mas os sindicatos, com a sua pub paranóica estragam sempre tudo querendo apadrinhar em vez de colaborar.
Quem ainda pensar que sabemos como se passa noutros países, que leia o meu próximo artigo sobre a Grande Burla dos partidos à Segurança Social. Falta-me um pouco o tempo para os escrever de seguida.
Obrigado por um comentário interessante. É pena que sem ID não te possa avisar da resposta, prova de que não escreveste em vão. Curto diálogo possível quebrado.