Blog do Leão Pelado



Este blog está construído segundo as normas da W3C, pelo que pode apresentar irregularidades em browsers que não as sigam, como o Internet Explorer e o Google Chrome. As bandas rotativas não funcionam no IE e as molduras são duma só cor.


Visite o blog da Mentira!
Colaboradores:

A. João Soares, Aruangua, J. Rodrigues, Sapiens, Mentiroso



Publicidade Governamental
à la Pingo Doce

Publicidade governamental só pode servir para esconder actos miseráveis contra a população, como se verifica no dia a dia e nos resultados obtidos à custa do sofrimento inculcado no povo.

Publicidade do Pingo Doce
Toda a gente está ao corrente como o Pingo Doce faz a sua publicidade enganadora de que vende tudo mais barato, pretendendo assim contrariar a imagem da realidade. Bom, talvez que alguns tolos ainda não tenham reparado; precisam que se lhes diga ao ouvido e se lhes explique com desenhos, mas até talvez mesmo assim não acreditarão. Aliás, é um golpe de ilusionismo extremamente simples e que segue todas as boas regras do marketing humilhante.

A direcção de marketing prepara o plano em colaboração com a direcção de vendas, tal como deve ser, a fim de poder executar um programa de publicidade efectivo e que não provoque perdas ou qualquer desequilíbrio na contabilidade da firma. Em conjunto, preparam uma lista de produtos a baixar os preços, segundo o estudo da concorrência. Sobre esses artigos irão basear a publicidade. Baixam os preços desses produtos de maneira sensível e crível. Fazem as suas campanhas de publicidade massiva apenas sobre eles ao longo do ano e acrescentam frases para convencerem que os preços baixos gerais são a estratégia da firma. Geralmente, quem comprar os produtos publicitados pode confiar que os compra a preços concorrenciais.

Agora o reverso da medalha. Nos outros artigos, escolhidos pelos mesmos estudos da concorrência, não só mantém os seus preços usualmente bastante mais altos que os da concorrência, como sobem muitos deles, frequentemente também sensivelmente.

Todos sabem também que quem vai às compras, após ter escolhido onde as fazer, não lhe é prático comprar apenas duas ou três coisas num lado, outras noutro e outras mais num terceiro ou quarto. Não é prático, é uma perda de tempo e um grande incómodo. Em conclusão, atraído ao Pingo Doce por dois ou três preços mais baixos, segundo a publicidade que viu e em que acreditou, o desgraçado cliente tolo, donde presa fácil, vai largar lá muito mais dinheiro do que se tivesse escolhido outra loja para as suas compras. O que lhe pareceu uma economia foi afinal um desperdício, Vai sem dizer que a direcção do Pingo Doce sabe tudo isto muito bem. Tão bem que é precisamente no que conta para sacar o dinheiro aos incautos.

Todo o comerciante deve ser livre de fixar os seus preços e de os anunciar. No entanto, por um lado, aproveitar-se das fraquezas humanas poderá ser tudo o que lhe queiram chamar menos honestidade. Por outro lado, deixar-se vigarizar desta maneira é uma demonstração de incapacidade de reflectir e pesar as situações e circunstâncias, uma deficiência mental de apreciação e de decisão.


Publicidade dos Governos
(pelos políticos que os compõem)

Quem não se tem dado conta da matracagem publicitária governamental sobre aquilo a que alcunharam de programa Simplex? É praticamente impossível não ter ouvido nenhum elogio ao sistema que se pretende ter resolvido a burocracia. Impossível de não ter reparado, pois que este governo anti-socialista, encabeçado por um primeiro-ministro engenheiro de marketing, que é incapaz de abrir a comua falsa sem lagar uma frase publicitária do sistema, mais parece uma caixa de música que assim que se abre começa logo a tocar. Sempre a mesma música, claro.

Quem quer que se veja obrigado a recorrer aos serviços do estado, pode a cada vez verificar o que verdadeiramente se passa e ficará consciente que todos os elogios dos políticos a esse respeito não se fazem sentir por todo o lado. Bem pelo contrário, só se constata em casos específicos e muito restritos, aqueles que foram a base da publicidade burlona dum primeiro-ministro moeda falsa.

Com efeito a burocracia tem aumentado sensivelmente, com exigências diversas que incluem a apresentação de mais documentos, baseadas em razões completamente estúpidas que só podem provir de atrasados mentais. É inacreditável e só quem não o tenha experimentado pode constatá-lo. Estes acontecimentos comprovam-se um pouco por todo o lado, mas sobretudo no que se relacione com a saúde e a segurança social. Aí, o aumento de burocracia tem tido um crescimento bastante acentuado. É onde o governo está a roubar mais os pobres. Mais dificuldades para desiludir os já tão necessitados de se servirem daquilo a que têm direito e que a canalha cada vez lhes quer mais negar. Onde é que já vimos comportamentos semelhantes? Não foi um deles no Pingo Doce? Pior, estamos em face duma campanha de desinformação suja levada a efeito por uma autêntica vara de porcos.

A este propósito (o aumento das dificuldades), é impossível deixar em branco o terrível caso da saúde em que o número de pessoas sem médico tem aumentado assustadoramente. Há actualmente centenas de milhares de pessoas neste caso, quase todos dos mais pobres. Há centros de saúde de Lisboa que têm mais de 10.000 pessoas sem médico. Comprovado e atestado por escrito pelas suas direcções. O governo parece bem determinado a acabar com a pobreza em Portugal, como referido num post anterior.

Há as doenças a aumentarem, como a tuberculose, reconhecida mundialmente como doença social do terceiro mundo, que prova o atraso dos países em ainda existe. Em Portugal, não só existe bem desde há muito, como ultimamente se tem desenvolvido de modo sinistro. Portugal país do terceiro mundo, não, do quarto. Disso, há muito que tem todos os sintomas que agora se acumulam e amplificam. Mas vivam os políticos com as suas canções de embalar tolos. Tolos, que são verdadeiros tolos, pois que como tolos chapados neles acreditam. E eles sabem-no muito bem. Por isso o fazem com tanto à vontade.

Estes acontecimentos são obviamente provocados por duas causas. Uma delas, como se depreende sem se ser adivinho, é o governo anti-socialista a enterrar a unha ladra e exploradora no cidadão comum, a tornar-lhe a vida num tormento, a empobrecê-lo, a encurtar-lhe a vida, a matá-lo. A outra, que agrava a primeira, é a tradicional consequência dos serviços administrativos do estado serem dirigidos pelos muito mais de 2000 incompetentes parasitas das seitas partidárias em governo, que se julgam serem eleitas para poder operar todos os saques impunemente. Quais salteadores de estrada, mas com tolerância garantida. Entretanto, os que compõem os bandos, os amigos e os que lhes pagam para parirem leis à sua conveniência (a mais alta corrupção), continuam a ter ordenados desmesurados que duram muito para além de abandonarem os lugares que lhes foram dados, não por mérito de concurso público mas por pura corrupção, e continuam a ter reformas muito superiores às atribuídas em circunstâncias correspondentes em países ricos. Em qualquer circunstância trata-se duma descomunal afronta a to da a população em geral. Nas circunstâncias presentes é um crime e uma traição permitir a existência de tais situações por parte do próprio estado. Em conclusão, os parasitas anti-socialistas apoiam os que não precisam com o dinheiro do povo, mas tratam da saúde e da carteira ao povo. Aliás e infelizmente como os políticos dos outros partidos, todos a mesma corja, donde não haver escolha possível entre eles.

Governo = Pingo Doce
Daqui se depreendem facilmente as conotações relativas ao modus faciendi entre políticos e publicistas do Pingo Doce. Tal como neste último, os políticos vigaristas fazem um enorme espalhafato de deficientes mentais, não só por ser mentira, mas por ser o contrário. Fazem publicidade sobre um facto verdadeiro, enquanto por trás fazem precisamente o contrário com tudo o resto e em grande escala. Distraem os incautos para lhes sacarem as bolsas. Obrigando-os a gastar mais, aumentam a inflação.

Até certo ponto não são atrasados mentais, mas apenas até um certo ponto. Da maneira que extorquem o dinheiro à população comportam-se mais como ladrões salteadores, mas também são incompetentes e atrasados mentais, por não terem capacidade mental para criarem uma situação em que conduziriam o país no interesse geral e, simultaneamente, tirassem vantagem. Este facto, por si só, explica bem o atraso mental ancestral e profundo dos clãs oligárquicos que nos torturam.


Conblusão
Vivemos num país que ao escumalha de políticos corruptos transformou na escumalha da Europa. Não só dos “antigos”, mas em que até os mais recentemente chegados nos ultrapassam alegremente. Num país com uma educação tão deficiente, onde as crianças praticamente não recebem qualquer educação útil. Não aprendem contabilidade doméstica e caem em todos os logros de que se poderiam defender. Não recebem educação sexual, há mais de quatro décadas nos programas escolares doutros países, pelo que têm filhos aos 12 ou 13 com em nenhum outro país europeu. Ensinamentos mais simples, são completamente descurados, tal como aprenderem a defenderem-se da publicidade enganadora. Estamos num país que é um verdadeiro paraíso para todos os canalhas e bandidos, assim como para qualquer vigarista que utilize a publicidade como base do seu logro.

Entretanto, a justiça só faz alguma coisa de útil quando um caso se torne mediático. E mesmo assim… Noutros casos arrasta-se durante anos, não condena culpados, está completamente adormecida. Como não toma decisões apropriadas, as pessoas que querem justiça são obrigadas a contestar julgamentos e a apresentar mais queixas paralelas. E os processos engrossam e vão esperando anos. Queixam-se de que têm muito trabalho, mas não têm de que se queixar, posto que uma grande parte é por eles provocada. Ultimamente tem-se verificado um desmesurado aumento de arquivamento de processos. Os mandriões e incompetentes vingam-se assim do governo no bode expiatório do povo.

Agradeçamos a nossa assim tão boa sorte aos nossos amados políticos e aos queridos jornaleiros que tão bem lhes encobrem as acções e a nós a verdade sobre a democracia vivida em países democráticos. Assim, quase todos continuam a crer que uma democracia é o que se vive em Portugal e continuam a votar nos seus carrascos. Paraíso para eles e outros que tais, como está atrás.

Nota aposta após publicação:
Este, como os outros deste blog, é mais um post intemporal de acordo com a informação no canto superior direito do blog. Com efeito, a publicidade do Pingo Doce referida já existe há uns alguns anos; a publicidade governamental há muitos mais. E nada muda, tudo permanece actual, até mesmo a ignorância em que a população é mantida e a sua tolerância idiota.

4 mentiras:

Anonymous said...

Se fosse só isso que comentas .
Os pagamentos de publicidade até entram nas contas do referido IRS.touaqui42

Paulo Sempre said...

Obrigado pela visita.
Abraço
Paulo

Savonarola said...

Gostei do paralelo feito entre as técnicas de marketing do Pingo Doce e as do governo. De facto, e dando continuidade ao teu raciocínio, existe um fosso entre a propaganda que o primeiro-ministro e seus apaniguados fazem e a realidade económica e social do país, de tal forma que se torna difícil divisar a verdade. Donde que o objectivo deles é bem conseguido: manter o povo na ignorância e fazê-lo engolir patranhas.
Parabéns pelo post e obrigado pelo link para O Anarquista, relativo aos mega-salários.
Um abraço

A. João Soares said...

Agradeço a visita ao Do Mirante e a colocação do Link. Ainda tenho de aprender a colocar Links para lhe retribuir a sua atenção.
Gosto desta análise da propaganda suja, embora tenha achado o texto muito extenso.
Um problema abordado de passagem é a corrupção e a burocracía que contraria o anunciado simplex. A corrupção e a burocracia andam de mãos dadas empurrando-se uma à outra pela escala acima. Toda a máquina do Estado parte da hipótese de que todos os cidadãos são desonestoe e é preciso controlar tudo com muitos papéis, etc.
Abraço